Rebaelliun: Show desta quinta será de celebração à amizade e ao Death Metal [Entrevista]
Postado em 11 de fevereiro de 2020 @ 09:42 | 842 views


A próxima edição do já tradicional Noisy Bazaar será realizada nesta quinta-feira, dia 13 de fevereiro, pela primeira vez no Bar Ocidente, em Porto Alegre/RS. Será uma edição especial, tanto pela localização quanto pelo dia da semana e formato. No palco estarão as bandas Syringa Vulgaris e Rebaelliun, que gravará o show para um lançamento posterior e que contará com uma reunião dos ex-integrantes da banda, o guitarrista Ronaldo Lima e o baixista/vocalista Marcelo Marzari. Com mais de 20 anos desde sua formação, o Rebaelliun segue hoje no formato trio com Lohy Silveira (baixo/vocal) Evandro Passos (guitarra) e Sandro Moreira (bateria), com shows anunciados na Europa para os próximos meses, e no bate-papo abaixo, o baterista informa que um novo disco será lançado ainda neste ano. Para saber mais sobre os atuais planos da banda e sobre o processo de perda do guitarrista Fabiano Penna, Sandro concedeu esta e  entrevista para a Wargods Press, revelando também algumas memórias de sua fase inicial, no final da década de 1990. O show será realizado no Bar Ocidente (João Telles esquina com a Osvaldo Aranha) a partir das 21h, com ingressos custando R$ 30,00.

Wargods Press – Nesta quinta vocês farão um show especial no Bar Ocidente, com a participação dos ex-integrantes e gravação em vídeo da apresentação. Considerando os tempos da Rotten Grave e Blessed, a história da Rebaelliun está quase beirando os 30 anos, considerando o hiato de 2002 até 2015. Então, podemos dizer que este show tem uma carga emocional intensa, ainda mais pela perda do guitarrista Fabiano Penna em 2018?

Sandro Moreira: Sim, o show certamente terá uma sensação nostálgica, um reencontro entre amigos que se conhecem há muitos anos, com muitas histórias conjuntas, e claro, o fato do Penna não estar mais presente traz uma carga emocional grande para nós da banda, sempre será assim, afinal, não éramos apenas companheiros de banda, mas amigos desde a infância e  isso é muito relevante.

Wargods Press – O baixista/vocalista Marcello Marzari e o guitarrista Ronaldo Lima foram peças essenciais na formação da banda, e embora tenham seguido direções diferentes no decorrer do tempo, creio que a amizade tenha prevalecido. Ronaldo chegou a ensaiar um retorno na época do “The Hell’s Decrees” e inclusive participou das fotos promocionais de divulgação do mesmo, mas não realizou nenhum show da turnê, que contou com Adriano Martini (Exterminate, Mental Horror) como guitarrista substituto. O que esperar desta reunião com antigos colegas de banda?

Sandro Moreira: A ideia de ter a participação do Ronaldo e do Marcelo nesse show é para se divertir e claro, recordar de histórias cada vez mais distantes em nossas vidas (sim, estou querendo dizer que estamos ficando velhos).  Não espero nada menos que um baita show de comemoração à amizade e a história da banda.

Wargods Press – Quando o Rebaelliun surgiu, lembro que foi um alvoroço, afinal, enquanto o Krisiun desbravava a Europa, a cena Death Metal gaúcha estava em grande ebulição. Nomes como Nephasth, Abominattion, Mental Horror, Malediction, Carcinosi e tantas outras estavam criando algo que poderia se equiparar ao boom do estilo na Flórida. Com o lançamento da promo tape em 1998, o Rebaelliun não perdeu tempo e partiu para o velho continente. Quais as lembranças daquela época?

Sandro Moreira: Cara, foi uma época de “rebelião” mesmo contra o rumo que nossas vidas estavam tomando, estávamos trabalhando em empregos formais, se distanciando cada vez mais da música e com influências do Krisiun e do Subtera, que haviam ido para a Europa, tomamos a decisão de formar o Rebaelliun e fazer o mesmo, tentar a Europa. As lembranças são inúmeras, tem muita história para contar, posso falar do primeiro show da banda na Europa, que foi em Gent, na Bélgica, foi um show em que literalmente entramos de gaiato. Imagine, era uma época em que a Internet estava recém nascendo para o público em geral, os contatos eram feitos por telefone e quem nos atendia simplesmente nos oferecíamos dizendo: “Olha só, somos uma banda de Death Metal brasileira, podemos tocar no seu Pub?” (risos). Sério, era na cara dura, ia tentando e nas primeiras tentativas conseguimos esse show que já estava marcado, a organização apenas incluiu o Rebaelliun no evento. Chegamos lá como quem não quer nada e fizemos um show como se fosse o último dia de nossas vidas, quem estava lá ficou estupefato com o show, tínhamos de merchandising somente um modelo de camiseta e a demo tape “At War”, contendo duas músicas. Após o show, vendemos quase todas as fitas que tínhamos, ao ponto de no outro dia ter que se organizar para comprar mais fitas no mercado e gravar em um 3 em 1. Neste dia fizemos algumas amizades que perduram até hoje, bah, tem muita história boa e claro, os perrengues, foi uma baita experiência.

Wargods Press – “Burn the Promised Land”, lançado em 1999, fez um sucesso enorme, colocando o Rebaelliun num patamar elevado, seguido de constantes turnês. O EP “Bringer of War”, lançado em 2000, marcou a saída de Marcello e a entrada do Lohy Fabiano, que na época da Blessed era apenas o vocalista e que na ocasião também assumiu o baixo. O line-up de “Annihilation”, lançado em 2001, marcava assim uma volta às raízes, com 4/5 da Blessed juntos novamente. Toda essa movimentação, num espaço tão curto de tempo, influenciou no término da banda em 2002?

Sandro Moreira: Cara, mesmo com tantas conquistas em um pequeno espaço de tempo, não significou a consolidação da união da banda, havia brigas constantemente entre nós, muito influenciado pelo dinheiro, ou melhor, pela falta dele. Na época tínhamos uma ideia fixa de que para dar certo tinha que ter 100% de dedicação à banda, o problema eram os proventos, a banda se sustentava, mas não gerava lucro para nós e isso foi dificultando a convivência entre nós ao ponto de decidirmos encerrar as atividades da banda. As mudanças na formação não chegaram a ser um problema na época, tanto que o Ronaldo chegou a sair da banda e retornar um ano após, ele sempre foi muito bem vindo à banda.

Wargods Press – Nos quatro anos em que a banda esteve ativa, foram lançados álbuns que se tornaram clássicos e shows que ficaram na memória. Entre 2002 e 2015, você e Fabiano participaram de diversas bandas, mas creio que lá no fundo sempre houve aquele pensamento: “e se voltássemos com a Rebaelliun?”. Do seu ponto de vista, apesar de estar sempre na ativa, houve alguma pressão para este retorno?

Sandro Moreira: Sem dúvida, volta e meia alguém aparecia e me dizia, “cara, vocês tem que voltar, fazem muita falta”. Com os outros integrantes a mesma coisa. Houve tentativas até em 2004, se não me engano, mas não rolou, depois em 2013/14, até ensaiamos, somente eu e o Fabiano, mas novamente não rolou. Costumamos brincar que a volta da banda foi uma crise de meia idade, pois já que todos estavam com 40 anos, decidimos, cara, ou é agora ou nunca mais, estamos ficando velhos para isso, então vamos tentar uma última vez.

Wargods Press – Lembro exatamente do dia em que a banda fez o anúncio oficial do retorno, e tão logo anunciaram a tão bem recebida volta, não houve descanso, e quase um ano depois é lançado “The Hell’s Decrees”, com toda a qualidade que sempre acompanhou a banda. Estar ao lado do Fabiano e do Lohy nos diversos shows que se seguiram foi uma experiência intensa, não é mesmo?

Sandro Moreira: Sim, com certeza, foi uma maneira de reafirmar a vontade da banda de querer mostrar seu trabalho novamente, de ser relevante em uma cena tão vasta em bandas, em ótimas bandas, diga-se de passagem. Foi uma correria (como no inicio da banda) fazer músicas do zero, gravar, lançar, correr atrás de shows, tudo igual como antes, só que agora mais maduros, mais experientes para poder lidar com as situações adversas. O primeiro show do retorno na verdade foi bem tenso, o Adriano estava segurando a guitarra, já que o Ronaldo participou apenas do retorno e gravação do “The Hell’s Decrees”, foi no Abril pro Rock, passou uma história na cabeça de anos de banda para estar ali, novamente tocando o terror para a galera.

Wargods Press – A turnê de divulgação do trabalho levou a banda de volta para a Europa, mas como todos sabemos, na volta da última turnê, Fabiano foi hospitalizado e veio a falecer prematuramente pouco depois de sua entrada no hospital. Como tem sido lidar com isso? Em algum momento vocês pensaram em desistir?

Sandro Moreira: Foi uma tremenda de uma infelicidade o ocorrido com o Fabiano, mas só mostra o que já sabemos, de que ninguém, absolutamente ninguém está livre de morrer. Acontece e infelizmente aconteceu com o Fabiano, cara, daqui a alguns dias vai fazer dois anos, passa muito rápido, muito, mas desde que aconteceu não tivemos, em momento algum, o pensamento de desistir e agora em 2020 vamos lançar o novo álbum (as composições estão quase todas prontas) por uma nova gravadora europeia seguido de uma nova tour europeia. O que estamos fazendo pela banda não é nada diferente do que o Fabiano faria se caso tivesse acontecido com um de nós o que aconteceu com ele.  Estamos firmes e confiantes de que a banda ainda vai render excelentes álbuns que apenas agregam para a história do Death Metal mundial.

Wargods Press – A entrada em Evandro Passos em 2018 foi bem recebida e desde então a banda tem realizado vários shows e para os próximos meses já está agendada uma volta para a Europa. Como tem sido a relação com Evandro e como vocês chegaram até ele?

Sandro Moreira: O Evandro se encaixou muito bem na banda, ele não tinha experiência nenhuma com bandas de Death Metal, na verdade conhecia meia dúzia, é um cara do rock, do blues. Você pode se perguntar, “tá, mas e aí, como um cara desses foi parar na banda?”. Um dia fui ao show da banda cover que ele toca, só clássicos, Black Sabbath, Purple, Led e cia e gostei muito do que vi, ali pensei, cara, esse cara ai ia se encaixar muito bem com o Fabiano, na época, o Ronaldo havia saído e sugeri aos outros integrantes testar o Evandro, mas não acharam muito boa a ideia. Após o falecimento do Fabiano, não tive dúvida, é esse maluco ai. Conversei com ele e ele aceitou o desafio e gostamos muito do resultado. Hoje, as composições novas estão sendo feitas um pouco diferente, antes eram mais na mão do Fabiano com pouca participação nossa, agora, está meio que bem dividido, todos colaboram e está ficando muito bom, logo gravaremos um novo álbum, e garanto que será muito bem aceito, pois as músicas estão muito com a cara da banda de hoje.

Wargods Press – Além dos shows na Europa, o que o futuro aguarda para a banda?

Sandro Moreira: Sim, iremos agora em Maio, participar dos festivais Netherlands Deathfest na Holanda e Into the Abyss na Polônia e mais alguns shows que estamos marcando. Para lançamento do novo álbum, acertamos um novo contrato com outra gravadora, também europeia, o lançamento será em setembro, seguido de uma tour europeia. Apenas não mencionei a gravadora porque estamos nos detalhes finais do contrato e assim que assinado iremos divulgar para o público em geral.

Wargods Press – E como é conciliar a sua agenda, seja de estúdio ou de shows, das quatro bandas que participa? Rebaelliun, Burn the Mankind, Exterminate e Hideous Monarch embora toquem Death Metal, possuem, cada uma, pegadas diferentes. Qual o segredo para tanto pique? 

Sandro Moreira: Até o momento, está funcionando, quando surge uma data de uma das bandas, prontamente comunico às outras e assim vamos nos comunicando, já houve shows em que toquei duas vezes, por exemplo, no Metal Sul, que na mesma noite toquei com a Burn The Mankind e em seguida com o Exterminate. Qual o segredo? Bah, sei lá, enquanto tiver pique para isso, vou fazer, por enquanto tá rolando.

Wargods Press – Sandro, obrigado pela atenção! Alguma mensagem para o público que irá ao Bar Ocidente nesta quinta?

Sandro Moreira: Obrigado Maicon pelo espaço e pelas perguntas, para o público que irá ao bar Ocidente posso afirmar que quem estiver presente vai presenciar um baita show de Death Metal e a celebração ao Metal e a amizade. At War!

Rebaelliun na Europa – Fabiano Penna, Sandro Moreira, Ronaldo Lima e Marcelo Marzari

 

Tags:, ,

Categoria: Entrevistas · News


TOP